Piano - Academia de Música Santa Maria da Feira

Ir para o conteúdo

Menu principal:

OFERTA PEDAGÓGICA

PIANO

O piano (abreviatura de pianoforte) é um instrumento musical de corda percutida. É definido como instrumento de percussão porque o som é produzido quando os batentes, cobertos por um material macio e designados martelos, e sendo ativados através de um teclado, tocam nas cordas esticadas e presas numa estrutura rígida de madeira ou metal. As cordas vibram e produzem o som.

PROFESSORES:
Ana Maria Teixeira [+]
Catarina Melro [+]
Maria Cidália Cruz
Olga Cecília Ramos [+]
Sandra Maria Almeida [+]

PIANO
Como instrumento de cordas percutidas por mecanismo ativado por um teclado, o piano é semelhante ao clavicórdio e ao cravo. Os três instrumentos diferem no mecanismo de produção de som. Num cravo, as cordas são beliscadas. Num clavicórdio, as cordas são batidas por martelos que permanecem em contacto com a corda. No piano, o martelo ressalta de imediato após tocar nas cordas e deixa a corda vibrar livremente.

HISTÓRIA
Atribui-se a invenção do pianoforte a Bartolomeo Cristofori, de Florença. Sabe-se que inventou um cravo que toca suavemente (piano) e fortemente por volta de 1698. Os pianos mais antigos que ainda existem datam da década de 1720. A invenção do piano beneficiou de muitos anos de existência do cravo, para o qual se conhecia bem a acústica e os materiais. O próprio Cristofori era fabricante de cravos. O grande êxito de Cristofori foi ter conseguido resolver, pela primeira vez, o problema mecânico fundamental do piano: os martelos devem tocar nas cordas mas retirar-se imediatamente (senão o som seria abafado), sem balançar e possibilitando repetições rápidas de pressão sobre a mesma tecla. Desde então, o piano tornou-se um instrumento crucial para a música ocidental, em especial a música clássica e o jazz. Grande parte dos compositores foram eles próprios pianistas e muitas vezes usaram o piano na tarefa de compor.

TIPOS DE PIANO
Existem duas versões do piano moderno: o piano de cauda e o piano vertical. O piano de cauda tem a armação e as cordas colocadas horizontalmente. Necessita por isso de um grande espaço, pois é bastante volumoso. O piano vertical tem a armação e as cordas colocadas verticalmente. Os martelos não beneficiam da força da gravidade.

Os pianos têm geralmente dois ou três pedais, sendo sempre o da direita o que permite que as cordas vibrem livremente, dando uma sensação de prolongamento do som. Compositores como Frédéric Chopin usaram nas suas peças este pedal com bastante frequência. O pedal esquerdo ou una corda é o pedal da esquerda. Despoleta nos pianos de cauda um mecanismo que desvia muito ligeiramente a posição dos martelos. Isto faz com que uma nota que habitualmente é executada quando o martelo atinge em simultâneo três cordas soe mais suavemente, pois o martelo atinge somente duas. O nome una corda parece incorreto, mas nos primeiros pianos, mesmo do inventor Cristofori, o desvio permitia que apenas uma corda fosse percutida. Nos pianos verticais o pedal esquerdo consegue obter um efeito semelhante ao deslocar os martelos para uma posição de descanso mais próxima das cordas.

 
Voltar para o conteúdo | Voltar para o menu principal